O que é ser saudável para você?

O que é ser saudável para você?



Desde o momento que pensei em compartilhar minhas experiências “saudáveis” com vocês no blog venho pensando nesse tema.

Porque a cada dia que passa vejo que ser saudável para mim pode não ser o mesmo para você e sabe qual o problema disso? Nenhum! 

Eu sempre acreditei que TUDO na vida deve ter equilibrio, seja um relacionamento, a fé, o estilo de vida, de alimentação, enfim, todas essas coisas precisam de bom senso, porque tudo que é fanatismo, obsessivo tem um único resultado: faz mal e pronto!

Já postei sobre ortorexia, um distúrbio que vem sendo cada vez mais comum hoje em dia, que é a busca obsessiva por alimentação saudável. E quando li sobre ele fiz uma auto análise para saber se por ventura eu estaria sendo assim...

Ufa! Descobri que não! E sabe porque? Porque aqui somos uma família normal, que come besteira de vez em quando sim (até posto isso) e sem culpa! E que sai, que vai em festas e come o que tiver ali, enfim, não somos neuróticos quanto a isso. E também não temos algum tipo de alergia que temos que mudar os hábitos por aqui.

Essas últimas semanas escutei algumas vezes: “Ah mas você é saudável, não pode comer isso!” e “Ah suas filhas não comem doces né!?"

Em momento algum eu as proíbo de algo ou privo elas de qualquer coisa, apenas tento ao máximo oferecer no dia a dia opções que realmente façam bem a minha família, comida de verdade, que alimenta, que nutre e deixamos as “porcarias” para momentos ocasionais porque somos normais! 

Para mim, comida de verdade é aquela que você vê, que sabe como foi feita, que quando lê os ingredientes sabe de onde vem, conhece, sabe o gosto, a cor, o cheiro. Ela não vem em pacotes e não duram por meses e às vezes anos, porque comida de verdade estraga! 

Eu sou a doida por doce, venho tentando me controlar sobre isso, principalmente por ter histórico na família de diabetes então me policio bastante, mas quem me conhece sabe que jamais recuso nas festinhas um bom e delicioso brigadeiro! A diferença é que não como a bandeja inteira.

Equilíbrio minha gente! Esse é o segredo! Caso contrário fica difícil conviver em sociedade! 

Quando optei em fazer os lanches das filhas foi porque busquei informação e vi que o que eu mandava de nada agregava, que só aumentaria as chances delas se tornarem crianças doentes. Será que a comodidade de mandar “sucos” na caixinha e bolos cheios de açúcar e gordura num saquinho todos os dias valia a pena? O prejuízo lá na frente para elas não seria pior e mais caro? Já que esses produtos estão diretamente ligados com obesidade, altos níveis de colesterol (que no caso delas realmente aumentou durante o período das “facilidades"), triglicérides e hipertensão. Foram esses meus questionamentos. Volto a dizer: “meus”! 

No começo teve “bullying" na escola sim! E eu sempre dizia para elas o porque da mudança, mostrei documentários, ouviram a pediatra, a nutricionista e hoje vejo que elas entendem melhor do que eu tudo isso. Certo dia, escutei elas conversando com alguém (não sabiam que eu ouvia a conversa) que era muito legal a mamãe fazer o lanchinho delas porque além de ser comida de verdade, elas sempre me ajudam a escolher e que tinha o meu amor em cada comidinha que eu mandava.

Fala para mim se não tem que morrer de amor? Ouvir isso para mim vale cada noite que vou dormir mais tarde, cada minuto que passo na cozinha quebrando a cabeça no que vou mandar de lanche do dia seguinte, cada queimada no fogão (sim sou desastrada!) e cada dor muscular também!

E quando não consigo fazer algo ou tem dia que a receita não fica do jeito que elas queriam (sim, as vezes acontece!) e elas escolhem algo da padaria ou do supermercado, eu deixo, não é rotineiro e não tem que ser o fim do mundo!

Esse é o tipo de vida que EU escolhi e nem por isso acho que deve ser o SEU.

Cada uma sabe o que deve fazer de sua vida e falo isso para elas o tempo todo. Que a informação eu passo para elas e o que elas irão fazer com aquilo depende única e exclusivamente delas, que elas devem achar o próprio bom senso. E que jamais devem julgar o lanche ou a opção do amigo. Que se elas não gostam de ser julgadas, primeiramente não devem julgar, simples assim!

Pode ser que lá na frente tenhamos alguma doença, eu espero que não, mas não estamos imunes a isso, porém se depender de mim farei o possível para que possamos viver com saúde por um longo tempo…

Então o único conselho que dou é que vale a pena você encontrar o SEU equilíbrio, o SEU bom senso.

A melhor parte da vida é essa, ser feliz com suas escolhas, sejam elas quais forem!

E eu estou feliz com as minhas!

Um comentário:

  1. Isso mesmo, o mais importante é sentir-se bem com suas escolhas e até mudar elas de vez em quando, porque só os tolos não mudam.

    ResponderExcluir